18-Outubro-2018 | 16:30 |

Companha “Combater eu preciso” é destaque na região

Parceria com o Ministério dos Direitos Humanos e Governo Federal está presente em todo o Sul Fluminense.

A Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda, em conjunto com o Ministério dos Direitos Humanos, do Governo Federal, está cada vez mais presente nas instituições apresentando a campanha “Combater eu preciso”, iniciada em 15 de junho (no Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa), com o intuito de conscientizar a população sobre as possíveis agressões sofridas contra os idosos.

O projeto está sendo desenvolvido em 12 municípios – dos quais seis já foram visitados: Valença, Porto Real, Piraí, Barra Mansa, Resende e Volta Redonda – e, semana passada, os representantes da campanha foram no Conselho Municipal do Idoso de Piraí. Estiveram presentes na conversa o presidente do Conselho, Getúlio Oliveira, acompanhado do vice-presidente, Jorge Alberto, da secretária Jilcileia Vieira e da conselheira Nilce Libânio.

O presidente do Conselho se mostrou animado com a campanha e disse que é de suma importância a elaboração desses projetos. “Essas campanhas ajudam a dar visibilidade aos diversos crimes que contra os idosos”, disse. E ainda se mostrou disposto a futuras parcerias com a Associação.

Já nessa semana, os representantes estiveram no conselho Municipal do Idoso de Barra Mansa, na presença do Presidente Eduardo Pimentel, secretários, conselheiros e representantes da sociedade civil. Eles se comprometeram a espalhar os cartazes pela cidade ajudando a divulgar essa proposta tão importante.

Rita Souza e Tarsila Valente, integrantes do projeto, destacaram a importância da campanha na região.

“A população precisa ter conhecimento sobre os direitos dos idosos e a rede de proteção local. Os Conselhos Municipais de Defesa de Direitos dos Idosos realizam um trabalho fenomenal, mas ainda falta uma certa divulgação. E a campanha veio aí para isso! Além do mais, existe uma cumplicidade – entre a AAP-VR e o Ministério dos Direitos Humanos –, para que a proteção ao idoso seja prioridade. Uma iniciativa sem precedentes entre as instituições." 

O projeto aborda os cinco tipos de violência mais comuns contra os idosos: abandono, abuso, negligência, exploração e violência física. Segundo o Estatuto do Idoso, “a violência contra o idoso é qualquer ação ou omissão praticada em local público ou privado que lhe cause morte, dano, sofrimento físico ou psicológico”. Todo e qualquer tipo de violência deve ser denunciado no Disque 100 (Disque Direitos Humanos).

 

Léo Rocha

Assessoria de Imprensa 

Publicidade:

Assine nossa Newsletter

Obrigado por se cadastrar!

topo