17-Maio-2018 | 10:04 | CPSI

AAP-VR sediará Campanha de Doação de Medula Óssea

Neste sábado, 19, a Associação dos Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda, juntamente com o Hemonúcleo do Rio de Janeiro, realizará a Campanha de Doação de Medula Óssea, na sede do Centro de Prevenção à Saúde do Idoso Roque Garcia Duarte (CPSI), na Rua 535, número 835, bairro Nossa Senhora das Graças. A capacitação acontecerá de 8h até às 16h.

A vinda da equipe técnica do Hemonúcleo do Rio a Volta Redonda tem a iniciativa do vereador Paulinho do Raio X, que constatou a dificuldade encontradas pelas pessoas da região que querem se cadastrar para serem possíveis doadores de medula óssea, ao mesmo tempo em que pacientes do Sul Fluminense aguardam ansiosamente por doadores.

No último dia 15, três famílias compareceram, em uma reunião do CPSI, para falar um pouco da campanha e da coleta de sangue para o dia 19. Larissa Morais, mãe de Rafael Morais Dias, de 10 meses, que tem a síndrome de Wiskott Aldrich, contou um pouco sobre a atual situação do seu filho.

“Essa é uma rara doença de imunodeficiência e a única cura é um transplante de medula óssea. Sem o transplante, sua expectativa de vida diminui. Ele tem plaqueta baixa, sistema imune enfraquecido, ficando mais suscetível a pegar infecções graves, além de ter sangramentos que levam à anemia, e já tem uma doença autoimune derivada da doença dele, podendo desenvolver outras doenças autoimunes ou até mesmo câncer, se não fizer o transplante o quanto antes”, disse Larissa Morais.

Outras duas famílias também compareceram, a de Renato da Silva Campos, de 32 anos, que tem Mielodisplasia e Hemoglobinúria Paroxística Noturna, diagnosticado há um ano; e a de Caio César Abranches, de 28 anos, que foi diagnosticado com Leucemia Linfoblástica Aguda de Fenótipo 1.

 A mãe de Caio, Elizabeth, disse que é indispensável o transplante de medula para a conclusão do tratamento.

 “Dentro do protocolo do tratamento quimioterápico de oito ciclos, que ele está concluindo nesse mês de maio, é indispensável o transplante de medula óssea. O transplante indicado para o tratamento dele é o Alogênico - retirado de células tronco de um doador saudável -, mas como o irmão não foi compatível, o ideal será o Alogênico não aparentado”, explicou a mãe de Caio, que está muito confiante com a campanha.

Algumas condições para ser um doador são: estar bem de saúde e ter a faixa etária entre 18 a 54 anos e 11 meses. Quem já doou alguma vez, não precisa doar novamente, pois já está cadastrado como um possível doador. A quantidade de sangue retirado por pessoa é de 4 a 5ml.

 

Léo Monteiro 

Assessoria de Imprensa 

Publicidade:

Assine nossa Newsletter

Obrigado por se cadastrar!

topo